GOSTOU DA PEQUENA AMOSTRA QUER COMPRAR

Pesquisar este blog

quarta-feira, maio 04, 2011

ALMA INQUIETA

Sou inquieta, 
porque sou poeta, 
A minha inquietação,
Não me cala,
As dores da alma,
Minha boca apenas fala.
Expressa no peito a tristeza 
da acomodação da certeza,
Grita alerta, que desperta
o medo do comum,
Mostro que preciso 
ser mais do que um.
Para continuar com
a minha alma, 
Certa que o errado 
não era ela e sim,
O vácuo que arrasta
o meu ser poético.
Não preciso ser ética
pra ser comum,
Sou revolucionária de 
dentro pra fora,
Mesmo sendo o agora
o fim do começo,
Não me acho, pois me
perco na hora ruim.
Sou inquieta porque grita 
no peito o poeta que
Mora em mim. 

Escrita em: 01/05/2011