GOSTOU DA PEQUENA AMOSTRA QUER COMPRAR

Pesquisar este blog

segunda-feira, maio 16, 2011

MOÇA, MENINA


Moça, já sei que sou?
Menina, será que ainda sou?
Mulher sei que não.
Não sei quem sou, pergunto ao tempo,
Bem no cair da noite, as estrelas não
Me respondem. Moça menina, Mas,
com o coração atento.
II
Ora sonho coisas de menina, ora penso em
Coisas de amor, suspiro escondido por alguém
Ele hoje não me olhou, passou não me viu,
A lagrima que estava guardada para outro momento
Ela caiu, tentei prendê-la, mas não deu
Quem sabe pensei, na volta ele me olha.
Será que ele vem? ou não vem, pensei comigo.
III
Esperei até a imensidão da noite chegar,....
Tapo os ouvidos e o coração, não devo ir,
devo voltar. Mas não dá, o que puxa a terra
Para o sol me puxa pra os braços dele.
Sou planta sem raiz, sou raiz sem semente
Sou menina, sou moça, ainda muito inocente.
Sou presa fácil ao seus corpo indolente.
Escrita em: out/1976